17.10.18

...

Você ainda é um bebê que mal se aguenta em pé e já é alvo de disputa entre sua família, que insiste em tentar adivinhar qual será sua primeira palavra. Afinal, será papai ou mamãe?  Está nos primeiros anos de escola, feliz entre brincadeiras com os amiguinhos e a descoberta de que no fundo você gosta de estudar, e tem que responder com uma certeza quase que absoluta sobre o que quer ser quando crescer. "Astronauta", sua versão mini responde, sem entender que aquela risada que o adulto está dando pode não ser de alegria mas sim de deboche. 

O crescimento ocorre acompanhado de cobranças disfarçadas de perguntas curiosas; apoios questionáveis; conselhos duvidosos... é um tal de querer saber sobre o primeiro beijo, o primeiro namorado, qual faculdade vai cursar, onde vai trabalhar, o quer fazer, em quem vai votar, porque vai viajar, para onde vai viajar, quando vai casar, porque não casou, porque separou, porque comprou, porque vendeu. É um tal de ouvir o quanto ele não era bom pra você, o que fazer, o que deixar de fazer, para onde ir, com quem andar... 

E a cada fase da vida, você percebe que o ciclo vai se repetindo. Mas que o impacto vai diminuindo conforme seu amadurecimento: um dia você realmente se importa com a opinião alheia, até se entristece; no outro, sente um leve incômodo, mas segue o baile; por fim, segue sem se importar porque entende que a opinião dos outros é, de fato, dos outros. 


26.9.18

Uma tentativa de café cremoso....haha



Depois de praticamente uma eternidade sem pisar na cozinha, eis que hoje volto do trabalho inspirada. Na verdade, percebi que o motivo da minha dor de cabeça era a falta do café diário (alguém mais é assim?). O fato era que eu estava afim de café cremoso (tipo aqueles das cafeterias e que custam uma pequena fortuna)  mas também não estava querendo um super doce. Normalmente, quando preparado esse tipo de café, é usado de uma ou duas xícaras de açúcar. Há quem diga que é o açúcar que influencia na textura...Enfim, o fato é que como a minha família toda tem tendência diabética, aqui a ideia é sempre seguir o lema "menos é mais". Resumindo, decidi tentar fazer o bonitinho com a menor quantidade de açúcar possível e, em vez de usar a batedeira como de costume, usei o liquidificador.  Vamos lá as considerações...

- Ficou cremoso, mas não ao mesmo nível do que o feito com muito açúcar e na batedeira;
- Ficou com o sabor do café mais forte (principalmente pelo fato de não estar tão doce);
- Quando misturado com o leite, fica mais suave e até dispensável o açúcar.
- Dane-se o resultado, é café e pronto! hahaha

Eu usei:
  •  3 colheres (sopa) cheias de café solúvel (suave e em pó);
  •  1 colher (sopa) cheia de açúcar
  •  1 xícara (essa caneca da foto, na verdade) de água quente;


Coloquei tudo no liquidificador e deixei bater eternos 15 minutos. Tchãããrãããmmm..  

Depois servi metade do caneco e completei com leite. Gente, eu curti. Acho que vale a pena, heim....



24.9.18

Eu sempre gostei muito de histórias.


Eu sempre gostei muito de histórias. Quando criança, esperava ansiosamente por aqueles momentos dedicados a leitura. Lembro bem de uma querida professora que reservava os minutos finais de suas aulas para nos contar sobre Bisa Bia, Bisa Bel (de Ana Maria Machado). Hoje talvez eu falhe em recordar cada detalhe da narrativa entre bisneta e bisavó, mas consigo lembrar bem da atenção que eu tinha e da raiva (se assim posso falar) que sentia quando algum colega de turma insistia em fazer barulho e atrapalhar todo aquele cenário mágico que estava sendo moldado em minha mente.

Naquela idade, eu nem sonhava em trabalhar com essa coisa toda de contar histórias. O meu único desejo era saber mais e mais. Ouvir o tanto que as pessoas eram capazes de recitar. Ler tudo aquilo que a biblioteca da escola poderia me oferecer. Ah, aquela biblioteca que eu chamava de minha quando todos estavam em férias e eu, bem... eu seguia acompanhando minha mãe enquanto ela ainda tinha muito trabalho a fazer.

Fiquei mais velha, fiz jornalismo, contei histórias. Algumas felizes, outras que me fizeram chorar de tanta tristeza, algumas me deixaram indignada. Ouvi promessas sendo feitas e que nunca saíram do papel. Vi pessoas fingindo, mentindo, omitindo. Vi pessoas contando certas histórias de maneira que favoreciam unicamente elas. O ciclo se repetia. Fui cansando mas, ao mesmo tempo, amadurecendo e enfim compreendendo aquilo que sempre ouvia na faculdade: toda história tem mais de uma versão.

A verdade é que somos todos personagens de muitas histórias. Em algumas, assumimos o papel de mocinho, herói ou grande amigo. Em outras, podemos ser aquele vilão culpado de todo mal causado na vida de alguém; ser aquele dono de uma inveja imensurável ou também podemos ser aquele coadjuvante com quase nada de destaque.

Temos que aprender a dar a devida importância para aquilo que ouvimos ou lemos. Duvidar daquilo que está mal explicado e desconfiar ainda mais daquilo que está rico demais em detalhes. Temos que aprender a desenrolar nossas próprias histórias, sem nos deixar levar por aquelas são lançadas aos quatro ventos por aí....

Qual história você quer contar? A sua ou aquela baseada em outros autores da vida?


12.9.18

Quando o batom líquido não é mais tão líquido assim....


Sabe quando você tem aquela peça de roupa que ama de paixão e quer usar até o último minuto possível? Ou aquele perfume que você cuida até a última gota? Bem, sou assim com meus batons. A louca apaixonada por vermelho um dia ganhou um batom mate lindíssimo de uma amiga mais lindíssima ainda. Virou o meu xodó, daqueles que uso sempre, todo santo dia. Mas como tudo que é bom um dia acaba e, na dificuldade de encontrar a mesma cor, resolvi improvisar e tentar "derreter" o que o pincel do batom não alcançava no fundo do frasco. Vai por mim, dá certo!

1) Esquente água. Não precisa deixar ferver, mas que esteja quente o suficiente para amolecer o produto que está dentro do frasco. 

2) Despeje a água em um recipiente em que caiba os frascos com os produtos que você deseja recuperar. 


3) Coloque o frasco no recipiente e vai mexendo (vai por mim, não deixe parado porque dependendo da temperatura da água vai derreter é a embalagem mesmo...😂😂😂😂)

                                        

4) Não precisa deixar muito tempo. +/- 30 segundos e você já começa a ver o resultado. 

                                         
Tchããããrammm...


Obs: tentei fazer o mesmo com o corretivo, mas nesse caso percebi que tinha acabado tudo...😤😂🙈


Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo