17/02/2014

#Texto: Inferno Astral (2)

(Imagem: google)

...trabalho ferrado porque um documento não foi entregue, carro com passagem bloqueada, escorregão e tombo bem na frente do mercado por causa de uma chuva sem graça não são as maneiras mais agradáveis de se passar um dia. Fiquei tão chateada com essa sequência de desastres que nem comprei o que precisava. Era muito para mim continuar naquele lugar onde minutos antes dei um show de queda, sem contar que estava ensopada e toda dolorida.

A chuva ainda caia quando resolvi voltar para o escritório, rezando de cabeça baixa e com lágrimas escorrendo pelo rosto para que ao menos o meu carro já estivesse com a passagem livre. "Infeliz do andar inferior", gritei. Se antes eu tivesse conseguido sair com meu humilde 1.0 estaria, agora, com pelo menos um dos meus planos cumpridos: o de encher a geladeira. 

Estacionamento, lá estava eu novamente. Para minha surpresa só restava meu carro. Não pensei que tivesse demorado tanto para percorrer duas quadras, mas foi quase uma eternidade. Peguei as chaves para entrar quando percebi um bilhete colocado no para-brisa do meu humilde carrinho. 

"Me desculpe pelo inconveniente dos últimos dias. 
Espero que um café possa recompensar. 
Atenciosamente, Luiz". 

Meu pai amado, quem era Luiz? E se percebeu que seria inconveniente bloquear a passagem do meu carro por que o fez então? Ele está achando que um café vai resolver ? Ahhh...vai sonhando! Não tem escrito nem data e nem hora para o tal cafézinho.... Talvez tenha tentado apenas ser educado. É, deve ter sido isso. Talvez esse bilhete educado seja sinal de que as coisas poderão começar a melhorar nos próximos dias, quem sabe?




Não entendeu nada? Clica aqui e veja o começo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo