20.8.14

#E você, quem é?

Falar que me conhece é fácil. Falar que tenho temperamento difícil também não é estar contando um segredo. Sou assim, me apresento assim! Do mesmo jeito, acrescento que não tenho paciência, não seguro minha língua afiada e dou cortes em frases/respostas idiotas com a mesma frequência em que dou risada e conto algum caso. Aliás, contar casos e ouvir histórias talvez sejam alguns dos meus hobbies prediletos. Não é segredo também que minha cor favorita é vermelha; que meu lugar preferido é minha casa; que minha melhor amiga é minha mãe e que vivo ao pé de guerra com meu pai, mas que o amo incondicionalmente. 

Na maioria das vezes posso aparentar ser fria. Talvez ter vivido algumas coisas na minha profissão tenham me feito ficar um pouco mais controlada emocionalmente/aparentemente. As vezes até demais. Mas, o que poucos sabem é que faço de tudo por meus amigos, que valorizo cada minuto com eles (apesar de as vezes não demonstrar) e que me sinto verdadeiramente magoada quando falham comigo...ou que tomo as dores de alguém próximo a mim que foi magoado. Talvez essa relação de sentimentos aflorados estejam ligados ao meu signo. Canceriana bobona. Sentimentalóide. As vezes meiga. As vezes delicada. As vezes chorona. As vezes solitária. Um temperamento único, diferente, bem canceriano. O que não sabem também é que quando me apaixono, me entrego. Para mim é para valer. Também não sabem que meus cachorros são mais que animais para mim. São meus amigos, meus confidentes e que me fazem chorar de tanto rir quase que diariamente. 

Não sou daquelas que escreve para os outros - apesar de que nesse mundo digital qualquer frase se torna uma indireta para aqueles que de alguma maneira têm culpa no cartório -, escrevo para mim. As vezes para lembrar de algo; ou para comentar acontecido; ou simplesmente para não deixar um espaço em branco....coisas da comunicação. Coisas de comunicadora. Coisas de jornalista!

E nesse mundo de comunicação entra minhas várias telas. Sim, já pintei muitas telas e acho que antes do jornalismo, a arte é a minha primeira paixão. Minha menina dos olhos. O que me faz ser a doce e delicada Karol. Aquela que era mais presente aos 12...13...14...15 anos. Misturar cores e ver a imagem surgindo. Ver aquela tela em branco se transformando em uma magia de cores, de formas, de sentimentos, de comunicação.Tantos sentimentos que há poucos dias me fizeram chorar. Chorar muito. De saudades, de alegria, de vontade de voltar a ser criança.

E no fim, essa deve ser eu. Ou um esboço de mim. Uma variante. Com tudo isso, só posso concluir com uma pergunta: você realmente me conhece como diz por ai?  Ou melhor, percebendo que todo mundo é um misto de sentimentos, reforço: você realmente conhece quem diz conhecer? E você, quem é?


(Foto: Fabiana Ferreira/2011)






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo