27/12/2017

24 de dezembro...


Uma notícia não tão agradável assim me faz entrar em contato com alguém que há muito tempo decidiu não manter vínculos. A resposta que veio foi ácida, do tipo que faz você se arrepender de ao menos ter se importado. No texto, dizeres como "não tenho idade", "não tenho tempo", "não resolvo assuntos por redes sociais" juntavam-se com outros que demonstravam um conjunto perigoso de amargura, rancor e ódio. Li aquilo e uma fúria tomou conta de mim. Logo comecei a escrever um texto que poderia revidar todas aquelas palavras. Parei, respirei e pensei. Era exatamente aquilo que a pessoa queria: ter de mim algo que pudesse justificar a famosa frase "está vendo? ela é assim!".  Apaguei aquilo tudo afinal o silêncio é a melhor resposta.

O problema é que me importo. Nunca entendi, por exemplo, o que eu tinha feito no passado para receber tanto desprezo. Assim se passaram os anos...8...10..15... já nem sei mais ao certo. Decidi participar do jogo e fingir que não conhecia. Até o dia 24. Até eu me arrepender amargamente de ter me importado com alguém que ao menos se importa. Li aquela resposta várias vezes. Em todas, eu quebrava a cabeça pensando: é isso que alguém que já não convive comigo há tantos anos pensa sobre mim?  Que não tenho idade o suficiente para saber sobre os altos e baixos da vida? Que vivo para redes sociais? Que sou fútil ou uma simples "intermediária" da informação?

Aquela loucura toda me fez repassar na mente os meus 26 anos. E como teve coisa. E como eu vi que nada daquilo que a tal pessoa me falou fazia sentindo. Nada daquilo correspondia a mim. Nunca deixei de assumir os meus erros e muito menos atribui a minha culpa a outra pessoa; nunca fugi de uma responsabilidade; nunca ignorei um problema,  por pior que fosse. Não sou hipócrita ao dizer que já senti vontade, por várias vezes, de jogar tudo para o alto e ligar um grande dane-se mas, ao final, o mesmo conselho sempre ecoou em minha mente e me fez encarar a realidade: persista. 

Maturidade não está relacionado com idade mas com atitude. Você pode estar na casa dos 40 mas não ter moral alguma ao decidir não encarar os seus problemas de frente. Tem alguma pendência com alguém? Sente, converse e resolva. Está insatisfeito com a sua vida? Levante a bunda da cadeira e vá atrás do que lhe convém. Sua família não te entende? Mostre seu lado ou pare e reflita se o problema, de fato, não está em você. 

Li por várias vezes a mensagem e só consegui ver alguém frustrado com o rumo que a própria vida tomou. Rodeado por uma família improvável, da qual talvez o rancor seja utilizado como base em vez do amor... quem vai saber, afinal? Tão frustrado que é mais fácil se afastar e colocar a culpa nos outros do que encarar a realidade, tomar as rédeas da própria vida e dar um rumo melhor aquilo que chama de "minha história". Tão frustrado que o ataque presente nas palavras aparentam mais ser um escudo, uma ferramenta de autodefesa. 

Sabe, também não tenho idade e nem tempo para resolver as coisas por redes sociais. Costumo ser bem curta e grossa com quem merece e, se for pessoalmente, melhor ainda pois não ficam dúvidas da sinceridade. Deve ser por isso que meu leque de amigos não é tão grande assim mas, ao mesmo tempo, é forte o suficiente para não se desfazer no primeiro abanar. Deve ser por isso que quem está verdadeiramente do meu lado não titubeia em me ajudar quando as minhas forças já não são tão suficientes assim para encarar mais um dia. 

Sei que não sou a pessoa mais fácil de lidar nesse mundo e bem por isso agradeço toda a acidez que foi enviada a mim. Transformo em combustível para continuar construindo a minha vida e, olha, ela está muito bem, obrigada. Por favor, continue pensando que sou uma fútil, preocupada com aparência ou com o que pensam sobre mim baseado em redes sociais. O pensamento é seu e se ele ajudar a melhorar a sua vida, que seja bem aproveitado.  Felizmente eu sei o que sou e o que me espera adiante.

Já para você, só desejo muita luz para clarear seus pensamentos, paz para acalmar seu coração e amenizar esse ódio que carrega, além de sabedoria para entender que somos o que pensamos e fazemos. Colhemos aquilo que plantamos e regamos diariamente. 


O texto acima é sobre vida, pessoas,  ações e situações.  Espero que tudo que nessa página é escrito ajude alguém, independente do lugar, da idade, da crença, do humor e do amor. Só ajude!
*




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo