Diário de Viagem: Vila Bom Jardim/Nobres (dia 2) - Doces Cores e Textos

26.10.20

Diário de Viagem: Vila Bom Jardim/Nobres (dia 2)

 

Talvez o dia dois tenha sido O DIA. Sem a correria da estrada do dia anterior, o domingo foi aquele em que acordei cedinho e tomei um café da manhã com calma, distribuindo bom dia para os outros hospedes da pousada e dando risada com o cachorrinho que mora lá. A vibe começou boa desde aí.  


Cachoeira Serra Azul

Mais conhecida nas últimas semanas como cachoeira da cobra por causa do episódio ocorrido com a médica, a cachoeira Serra Azul é simplesmente linda! (e não, não tinha cobra por lá... mas o própria guia orienta a não ir para debaixo da queda d'agua). Ela está localizada na Fazenda Refúgio, mantido pelo SESC  e é  considerado um parque ambiental em fase inicial de implantação, voltado para ecoturismo. Entre as atividades disponíveis atualmente estão: flutuação, tirolesa e arvorismo (clique aqui para ver valores e atrações). 

Para chegar até lá, percorremos +/-  uns 20 km de estrada de chão (sim, meus caros, terrão e pedra, muita pedra!). Ah, informação importante. Ao chegar, esteja ciente que ainda vai caminhar mais uns 800 metros e subir 470 degraus irregulares.

Sim, foi de parar no meio do caminho para um breve descanso, recuperar o fôlego e a dignidade. Mas o resultado final fez esquecer esse pequeno probleminha rapidinho. O lugar é lindo, a água é gelada mas uma delícia. Uma vibe bem delícia. 

                                            
                                                     Foto: arquivo pessoal || @kaarolkuhn

                                                                    Vídeo @kaarolkuhn


Bóia Cross no duto do Quebó

"Duto do que dó? quebró? que droga?" Tá, a piadinha é interna porque eu e a minha amiga erramos muito o nome do Duto do Quedó até chegarmos lá. Mais afastado da região da Vila Bom Jardim, foram uns 30 km de estrada de chão, buracos e, para completar, umas subidas bem íngremes ao final do destino.  

Imagem: arquivo pessoal 

Apesar do desgaste da estrada, o passeio valeu muito a pena. A equipe que administra o lugar  é super gente boa e, mesmo com o rio baixo por causa da seca, ainda foi muito divertido, com direito a batidas de bóias, atropelamentos, encalhamentos, morcegos (muitos batmans na gruta...haha) e risadas. 

Obs.: Sapatinhos de borracha pra proteger os pés (sério, vocês vão precisar sim...hahah)
Obs.2: usem shorts! haha
Imagem: arquivo pessoal || @kaarolkuhn




                                            Imagem: arquivo pessoal || @kaarolkuhn

Dúvidas sobre o bóiacross: não sei se foi por conta do nível da água, mas não foi veloz (achei que seria), mas mesmo assim é super delícia e rende algumas risadas. Durante o trajeto, tem alguns pontos de parada, para não correr o risco de virar para o lado errado ou para simplesmente parar e esperar o resto do grupo. 


Nenhum comentário