Alta Tensão - Harlan Coben - Doces Cores e Textos

10.4.20

Alta Tensão - Harlan Coben


Não costumo comprar livros por indicação. Sou aquela que como antigamente fazíamos, por exemplo, em uma locadora de vídeo: entro, pego o produto na estante, leio a apresentação na capa e, se me atrair, compro. Isso me faz ter mais livros do que tempo para ler e, foi deste modo que adquiri Alta Tensão, de Harlan Colen, há pouco mais de um ano, durante uma feira de livros e enquanto aguardava a sessão de cinema começar. 

Para leitores, acredito que nada melhor do que um livro que envolva com o enredo, materialize o personagem em sua mente, faça ficar preso na história de maneira que "só mais um capítulo" não seja uma tortura para concluir a leitura mas, sim, signifique o anseio de descobrir o desfecho do personagem e, bem, Colen sabe muito bem fazer isso.  

Em Alta Tensão, décimo livro do autor dedicado ao protagonista Myron Bolitar, é possível ler com tranquilidade sem sentir falta das narrativas anteriores. As apresentações dos personagens são rápidas, porém, bem fundamentadas e nada cansativas. A grande sacada é usar o humor nas respostas sarcásticas dos personagens, visto logo nas primeiras páginas, mas principalmente nos momentos de maior tensão da história. Mas que história?

Tudo começa quando uma mensagem deixada na página de Facebook de Suzze T, uma ex tenista de sucesso, põe em descrédito a paternidade do filho que ela espera. Ela pede ajuda ao seu agente e amigo Myron para descobrir a autoria da postagem e ir em busca do marido, Lex Ryder, um astro do rock, que saiu de casa após ler a postagem.

O problema aumenta quando Myron reencontra Kitty (que fugiu com Brad, irmão mais novo de Myron anos atrás) e percebe que ela pode estar ligada a ameaça à Suzze.  Na tentativa de ajudar a amiga, Bolitar também tenta aproveitar a aparição da cunhada para reencontrar o irmão. A partir disso, a história sai de um pedido de ajuda e passa a ser também um momento de confronto com o passado. 
"É comum, em momento difíceis, as pessoas dizerem que o tempo cura todas as feridas.  Conversa fiada. Na verdade, você fica arrasado, se entrega ao sofrimento e chora até achar que não vai conseguir parar nunca mais - e então chega a um ponto em que o instituto de sobrevivência assume o controle. E você para. Simplesmente não quer nem consegue se permitir mais "entrar em contato" com a dor, porque ela é grande demais. Você a bloqueia. Você a renega. Mas na verdade não se cura" ( p. 44)
Problemas familiares, fama, ganância e rivalidade são pontos muito bem discutidos no decorrer do livro, deixando claro como estão ligados e como as escolhas podem afetar todo uma vida (ou várias). Uma história completa, com festa, música, briga, tiros, confronto, esperteza, dramas, acerto de contas e, acima de tudo, um final que faz jus ao todo o desenrolar. 



Ficha técnica:
Lançado em 01/09/2011
Editora Arqueiro
Título original: Live Wire
Gênero: suspense /policial


Nenhum comentário